­

Certa ocasião, o evangelista Charles Spurgeon, ao ouvir uma pregação de Jorge Müller, declarou o seguinte: o tema exposto era tão simples que qualquer professor da EBD, por mais inexperiente que fosse, poderia falar sem maiores dificuldades. Porém, a graça e a unção com que foi transmitido, trouxe um profundo impacto em minha vida...

Assim como aconteceu na experiência de Spurgeon, nós também podemos observar quando uma música é ungida ou não;  quando um ministro é ungido ou não, quando existe unção na ministração do grupo ou quando é apenas emoção ou comoção.

A unção é um requisito básico para o exercício eficaz da obra do ministério, pois a unção tem como objetivo habilitar, capacitar e revestir de autoridade uma pessoa para o cumprimento de uma missão.

A unção tem a ver com um viver diário diante do Senhor. Quando levamos a sério o fato de que todo o nosso viver tem que ser “diante do Senhor”, muitas de nossas atitudes e comportamentos se modificam.

Eu creio que Deus deseja levantar entre nós músicos, cantores, dançarinos, enfim ministros que formem um exército que  esteja totalmente comprometido com o senhorio de Jesus Cristo. Você tem recebido esse chamado? Se sim, não se esqueça que Ele está chamando você para um papel de destaque na igreja, um lugar de liderança!

É hora de fazermos uma avaliação de onde estamos espiritualmente e de nos certificarmos de que estamos honrando a Deus não apenas com nossos dons e talentos mas também com nossas vidas. Façamos todos os ajustes necessários para nos tornarmos  tudo aquilo que Deus quer que sejamos! Proteja a sua unção  mantendo uma vida devocional ativa. Prime por um caráter irrepreensível diante de Deus e dos homens. Não tenha medo ou vergonha de pedir ajuda. Não desista por causa de maus hábitos que insistem em voltar. Creia num Deus que transforma. O pecado sairá e  você permanecerá no lugar onde Deus planejou. Rasguemos nossas vestes, com sinceridade de coração e deixemos Deus nos purificar.

Nosso desejo é levantar em nossa igreja músicos, cantores, dançarinos ... enfim adoradores que sejam conhecidos não apenas por seu talento, mas também por sua caminhada com Cristo, sua unção e caráter cristão.

Assim, pois, que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus. Ora, além disso, requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel”. ( I Cor. 4:1,2 )

"Deus tornou pecado por nós aquele que não tinha pecado, para que nele nos tornássemos justiça de Deus. Como cooperadores de Deus, insistimos com vocês para não receberem em vão a graça de Deus. Pois ele diz: “Eu o ouvi no tempo favorável e o socorri no dia da salvação”. Digo-lhes que agora é o tempo favorável, agora é o dia da salvação! Não damos motivo de escândalo a ninguém, em circunstância alguma, para que o nosso ministério não caia em descrédito. Ao contrário, como servos de Deus, recomendamo-nos de todas as formas: em muita perseverança; em sofrimentos, privações e tristezas; em açoites, prisões e tumultos; em trabalhos árduos, noites sem dormir e jejuns; em pureza, conhecimento, paciência e bondade; no Espírito Santo e no amor sincero; na palavra da verdade e no poder de Deus; com as armas da justiça, quer de ataque, quer de defesa; por honra e por desonra; por difamação e por boa fama; tidos por enganadores, sendo verdadeiros; como desconhecidos, apesar de bem conhecidos; como morrendo, mas eis que vivemos; espancados, mas não mortos; entristecidos, mas sempre alegres; pobres, mas enriquecendo muitos outros; nada tendo, mas possuindo tudo."

(II Coríntios 5:20 e 6: 1-10)

Efésios 5:17-21
Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor.
E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito;
Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração;
Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo;

Qual a vontade de Deus para nós?

Encher-nos do Espírito.

Para que?

1) Falar entre nós com:

- salmos,

- hinos,

- cânticos espirituais;

2) Cantar e salmodiar de coração;

3) Dar graças CONSTANTEMENTE a Deus por TODAS as coisas;

4) Sujeitarmo-nos uns aos outros.

A plenitude da nossa essência, o motivo de sermos criados pelo Senhor, é o louvor do Seu nome e a comunhão verdadeira entre os irmãos.

Pratique a Palavra!

Quando falamos de backing-vocal naturalmente lembramos de grupos de cantores que apóiam o cantor ou cantores principais, como vemos nos shows das grandes gravadoras nacionais ou internacionais.

Na verdade, são estes cantores que se fundem com os instrumentistas, com a função de dar uma cama para o cantor, auxiliando nas questões harmônicas e dando liberdade para o cantor [crooner] trabalhar performances individuais e interação com o público ouvinte.

É importante salientar que o cantor back tem de ter uma escola mais abrangente no que diz respeito a estilo musical e forma de cantar.

História

Antes de falarmos do backing-vocal como um grupo funcional, devemos entender a sua origem, história e também suas raízes. Não dá para deixar de citar os primórdios da música negra norte-americana, pois foram estes tempos que deram origem não só ao backing-vocal, mas também a toda variedade e estilo musical popular dos EUA, sem contar os folclóricos trazidos pelos colonizadores europeus. Com a chegada dos negros africanos as coisas começaram a mudar por lá e por aqui também, diga-se de passagem. A música afro-americana foi influenciada pela música e cultura tribal dos negros africanos trazidos para o trabalho escravo na América e pela cultura européia.

O canto gregoriano da idade média [Europa] era assim: perguntas e respostas entre o solista e o restante do grupo.

No final de 1700, as áreas rurais da nova Inglaterra eram tomadas por hinos religiosos trazidos do velho country. Com a chegada dos negros em meados de 1800 começa um grande fenômeno cultural e para a nossa sorte uma revolução musical acontece nos campos de trabalho e começa se ouvir os worksongs.

Este tipo de música era executada pelos negros escravos que sentiam saudade da sua terra distante e por isso tribos inteiras que foram transportadas para a América cantavam os seus lamentos e saudades através de cantos tribais que ecoaram por toda a lavoura [já pensou que bonito e ao mesmo tempo triste?]. Com a colonização, alfabetização, musicalização, e influencias da música branca, os negros foram também evangelizados. Com isso, a música sacra de época ganhou ritmo e influencia africana. Um novo tipo de música estava sendo difundido na América, é lógico que os primórdios eram os negros que ouviam e cantavam este tipo de música.

Com o crescimento da música negra nas igrejas com influência européia, surgiram aos poucos os grupos específicos que se especializavam em música e daí os grupos vocais, surgindo os famosos corais.

Dos corais, os solistas. Com a modernização da música, veio também a necessidade de enxugar os corais, pois o transporte de muita gente era muito difícil.

Então selecionavam os melhores para apoiar o solista, surgindo assim os cantores de apoio: os BACKVOCALS.

Back Vocal

Back: costas, dorso. Parte de trás.

Back ing: apoio, suporte.

Como pudermos notar acima, a palavra back nos faz entender que este grupo seleto de cantores tem por objetivo apoiar, dar suporte ao solista. Na minha opinião é a extensão da banda que canta. Pode se executar com respostas, vaias, ou até mesmo cantar junto com o crooner, mas sempre lembrando que o volume, o ataque vocal e divisão de vozes são diferentes.

Normalmente os backs são formados por no mínimo três cantores para formar tríades na hora da abertura de vozes. Isso não quer dizer que não possa ter mais que três cantores, mas que chegue até oito cantores, pois passando disso eu considero um mini-coro.

A divisão de vozes pode ser separada em grave, médio e agudo. Independente de serem vozes masculinas e femininas. É importante que os volumes e timbres diferenciados sejam bem equilibrados para que a idéia de suporte possa ser bem executada.

Referencias

Muitos dos cantores e cantoras populares conhecidos foram backs ou cantaram em corais em suas igrejas e hoje são artistas renomados.

É importante saber que os backs são cantores de muita qualidade, sendo até mesmo melhores que muitos cantores solistas.

Aqui vão alguns nomes que eram backvocal e hoje são estrelas: Dionne Warwick, Maysa, Danna Summer, Helen Baylor, The Fat Family, Silveira, Maurilio Santos, Kades Singers, Whitney Houston, Tina Turner, Marvin Gaye, Steve Wonder e entre outros.

Pr. Duda Matheus

Produtor e preparador vocal

"E eles, cheios de alegria, começaram a louvar a Deus em voz alta por tudo o que tinham visto. Eles diziam: - Que Deus abençoe o Rei que vem em nome do Senhor! Paz no céu e glória a Deus! Ai alguns fariseus que estavam no meio da multidão disseram a Jesus: - Mestre, mande que os seus seguidores calem a boca! Jesus respondeu: - Eu afirmo a vocês que, se eles se calarem, as pedras gritarão!" Lucas 19: 37b-40 (HTLH).

O louvor é algo que faz parte da atmosfera que circunda a presença do Senhor. Esse louvor lhe é dado initerruptaamente nos céus, e a criação, continuamente também louva ao Senhor. Nessa passagem, no entanto, o próprio Jesus ressalta que o louvor que sai dos lábios do homem que ama ao Senhor é tão precioso para ele que, se cessar, até a natureza se queixará. Aliás, o apóstolo Paulo afirma que a "... ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus." (Rom. 8:19 - ARC).

Por isso, vocês que ministram louvores na Casa do Senhor, animem-se! Tenham por precioso e valioso o vosso trabalho. Ele inspira outros a fazerem o mesmo, propiciando a presença do Senhor em nosso meio.

"Eis aqui, bendizei ao Senhor todos vós, servos do Senhor, que assistis na Casa do Senhor todas as noites. Levantai as mãos no santuário e bendizei ao Senhor. O Senhor, que fez o céu e a terra, te abençoe desde Sião." - Salmo 134 (ARC).

Senti em meu coração de compartilhar algo sobre o livro de Malaquias com vocês.

Mas antes de lermos e meditarmos em alguns trechos, vamos localizar o período em que esse livro foi escrito.

Malaquias foi o último dos profetas do velho testamento. Depois de sua profecia, Deus calou-se por quatrocentos anos até anunciar o nascimento de Jesus Cristo.

Malaquias exerceu seu ministério, muito provavelmente, no tempo de Esdras e Neemias.

Nesse período, o povo de Deus estava voltando do exílio e reconstruindo as ruínas de suas cidades. Além disso, haviam perdido completamente o sentido de adoração ao Senhor, pois acabaram se envolvendo muito com os povos estrangeiros.

A reconstrução dos muros de Jerusalém, na verdade, refletiam no mundo exterior o que Deus estava fazendo no coração do povo Dele: reconstruindo um relacionamento de honra, respeito, temor e amor com seu povo.

Desse modo, o Senhor preparava o seu povo para a chegada do Messias. Vemos isso nitidamente no versículo 2 do capítulo 4 de Malaquias e pelo transcorrer da história: “Mas para vós, que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, trazendo salvação debaixo de suas asas. E saireis, e saltareis como bezerros libertos da estrebaria.

Olhando para nós, nos dias de hoje, podemos dizer que não estamos tão distantes da situação do povo de Israel nos tempos de Malaquias.

Estamos tão envoltos com nossos compromissos que acabamos por destronar o Senhor de nossas vidas. Hoje, para nos mantermos empregados e obtermos o nosso sustento, a nossa sociedade exige de nós tanto preparo e dedicação ao trabalho, como atualização e expansão de conhecimento constantes e disponibilidade de tempo quase que integral para atender as demandas do trabalho, que estamos sempre muito cansados para a obra do Senhor.

A rapidez dos meios de comunicação e a facilidade que nos traz a internet tornam o cultuar a Deus e os momentos de oração e silêncio com Ele em nossos quartos extremamente enfadonhos.

Uma vigília, uma reunião de oração, a Escola Dominical, os cultos ao Senhor são encarados por nós como “mais um compromisso” e não mais um momento singular e especial para estarmos na presença do grande “Eu sou”.

Aliás, “Grande Eu Sou”... quem é Ele? Que sentido essa expressão tem em nossos corações?

Nossos lábios louvam ao Senhor, mas nossos corações estão cheios de outras prioridades, muito longe Dele.

Fazemos isso porque somos realmente pressionados pelo sistema desse mundo, dominado completamente por Mamon. E temos que admitir que estamos perdendo a batalha. Assim como os discípulos não puderam suportar a espera por Jesus, quando Ele orava no Getsemani, e dormiram. Sim, a porta que conduz à salvação é estreita... daqui até a volta de Jesus será uma batalha cada vez mais ferrenha e apenas àquele que vencer será dado: comer da árvore da vida, não sofrer o dano da segunda morte, ganhar o maná escondido e um novo nome,  ter autoridade sobre as nações, receber a estrela da manhã, ter vestes brancas e ter o nome confessado por Jesus diante do Pai e dos anjos, ser coluna do templo de Deus, receber o novo nome de Jesus e assentar-se com Ele no seu trono.

Jesus nos diz: Eis que cedo venho! A minha recompensa está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. (Apocalipse 22:12)

Vamos a Malaquias:

1: 6-14 e 2: 1-9.

O Messias está voltando... prepare o caminho do Senhor!

Christiane Liasch Martins de Sa Araújo

"Porque o Senhor escolheu a Sião; desejou-a para a sua habitação, dizendo: Este é o meu repouso para sempre; aqui habitarei, pois o desejei. Abençoarei abundantemente o seu mantimento; fartarei de pão os seus necessitados. Também vestirei os seus sacerdotes de salvação, e os seus santos saltarão de prazer. Ali farei brotar a força de Davi; preparei uma lâmpada para o meu ungido. Vestirei os seus inimigos de vergonha; mas sobre ele florescerá a sua coroa. Salmos 132:13-18

Hoje, eu e você somos a escolha de Deus para fazer a Sua morada, através do Espírito Santo. Então, parafraseando e profetizando: 

Porque o Senhor escolheu a Você, desejou-o(a) para a sua habitação, dizendo:

Meu (minha) filho(a) é o meu repouso para sempre, em ti habitarei pois o (a) desejei.

Abençoarei abundantemente o seu mantimento, te fartarei de pão ( ou seja, suprirei suas necessidades).

Também te vestirei de salvação (afinal você é sacerdócio real), e saltará de prazer!!!

A minha presença fara brotar força em ti, preparar-te-ei uma lâmpada, pois és meu ungido.

Vestirei os seus inimigos de vergonha; mas sobre ti florescerá a sua coroa. 

Amém!  

Chris

­